website

Conteúdos sobre Gestão de Academias, Box de Cross e Centros de Treinamento

Coach de Cross Training: como acertar na contratação do profissional?

Coach de Cross Training: como acertar na contratação do profissional?

Autoria de D1 Fitness

Para ter qualidade nas aulas, é necessário contar com bons profissionais. Os treinadores são parte fundamental para o sucesso da empresa e nível de satisfação dos alunos. Por isso, o processo de contratação desses especialistas deve ser bem feito. 

Neste post, falaremos um pouco mais sobre como acertar na contratação do coach de crossfit ideal para sua box. Anote as dicas e esteja mais preparado para selecionar os melhores profissionais para seu negócio. Boa leitura!

A importância do Head Coach 

Aulas bem preparadas unidas a um bom ambiente, atendimento e estrutura são fatores que fidelizam clientes.

O treinador é parte importantíssima para que a box prospere e atraia cada vez mais alunos. Ele tem grande influência na evolução dos atletas e na prevenção de lesões dos praticantes.

Um levantamento publicado pela revista norte-americana The Journal of Strength & Conditioning Research destacou que o cross training é uma atividade com baixo risco de lesão: apenas 3 a cada mil horas de prática. No entanto, o estudo apontou que se não houver a orientação adequada do profissional que acompanha o exercício, o número de contusões pode até triplicar.

Orientação adequada, confiança e incentivo são fundamentais.

Requisitos para a contratação do Head Coach

O primeiro fator de consideração para contratação do profissional é a formação acadêmica. Obrigatoriamente, aspirantes a coach devem ser formados em Educação Física e apresentar registro válido no Conselho Regional de Educação Física (CREF).

Após o primeiro passo, é preciso que apresentem certificações na área. No cross training, existem quatro níveis de qualificação para os treinadores. Do Level 1, mais básico, ao 4, último, o que diferencia é o tempo de experiência, salário e conhecimento técnico.

A escolha do coach ideal para sua box vai depender da demanda. Obviamente, o essencial seria contar com professores com certificação Level 4. Entretanto, lembre-se que profissionais que ainda não chegaram ao último patamar não são maus treinadores, necessariamente.

Existe uma série de requisitos para passar de nível. Para cada um deles, exige-se um total de horas exercidas do profissional, além de ter de desembolsar um valor em dinheiro para fazer testes e provas.

Veja, na tabela abaixo, o que cada um pode oferecer:

Certificado Exigências
L1: O nível é básico, mas já permite ao profissional dar aulas em boxes licenciados. Para se certificar, o aspirante deve ter mais de 18 anos.
L2: Ter finalizado o certificado L1 e mais de seis meses de experiência na área. O certificado precisa ser renovado a cada cinco anos.
L3: Ter os certificados L1 e L2, passar por uma prova de conhecimento e contabilizar mais de 750 horas de atividades dadas em boxes. Certificação precisa ser renovada a cada cinco anos.
L4: Ter finalizado todos os certificados anteriores e os manter atualizados, realizar exame prático e ter mais 1500 horas de treinamento.

Não há problemas em contratar coaches que ainda não chegaram ao nível máximo da certificação. Esses profissionais podem apresentar um alto nível de conhecimento nas aulas, que pode ser, até mesmo, superior ao orientador nível 4, por exemplo.

Quanto pagar para um Head Coach?

De acordo com o site de empregos e salários Love Mondays, o salário médio bruto de um instrutor de cross training é de R$ 5.812. No entanto, esse valor pode variar de acordo com o porte da empresa e qualificação do treinador. Evidentemente, profissionais mais qualificados exigirão um valor maior.

Processo de seleção do Head Coach da Box de Cross Training

Ao iniciar o processo de seleção para a contratação, o ideal é divulgar a vaga em diversos lugares, conversar com outros gestores de box e pesquisar por em plataformas digitais.

Para ter mais certeza na escolha do(a) candidato(a), identifique no currículo se ele ou ela cumpre as exigências de qualificação que já citamos anteriormente. Além disso, conheça a fundo trabalhos e experiências anteriores dos postulantes à vaga.

Listamos mais coisas que você pode fazer para ser assertivo na escolha.

Verifique as redes sociais

As plataformas de interação social estão cada vez mais presentes em processos de seleção, já que são capazes de identificar o comportamento do candidato em suas relações pessoais. Elas podem mostrar a maneira com que o profissional se comporta quanto a opiniões contrárias, como trata outros usuários, se é comunicativo e até se apresenta conduta preconceituosa e antiética.

Em uma breve consulta, é possível compreender se o candidato está apto à vaga e se está de acordo com os valores da empresa.

 

A prática vem se tornando cada vez mais frequente. Em pesquisa recente da Catho, para 33% dos gestores, redes sociais têm poder de decisão no momento da contratação. Por isso, vale a pena checar os perfis dos pretendentes ao trabalho.

Peça referências

Converse com gestores de antigos empregos do candidato; eles poderão apresentar uma visão mais abrangente do comportamento profissional do coach. Um simples telefonema pode resolver.

Realize testes

Separe dias da semana e faça testes práticos com cada um dos candidatos. Pode ser algo bem simples, como uma pequena simulação de aula para iniciantes, intermediários ou alunos mais avançados. Note a didática do profissional, se ele oferece recursos e se está capacitado para realizar o trabalho.

O que achou das dicas? Aproveite e se inscreva em nossa newsletter para receber conteúdos novos com frequência!!



(0) Items
Items 0
Subtotal R$ 0,00
To Top
>